Indústria do Alto Tietê reduz ritmo de demissões em fevereiro

Ciesp - Pesquisa emprego

Em fevereiro, o Alto Tietê ocupa a 10ª posição entre as 35 regiões industriais paulistas e seu desempenho, após vários meses, foi melhor do que o registrado na Grande São Paulo

O nível de emprego na indústria do Alto Tietê deu sinais de estabilidade no mês de fevereiro, depois de meses de quedas acentuadas. As demissões continuam, mas o ritmo foi bem menor no último mês, com uma variação de -0,01%, o que significou uma redução de 10 postos de trabalho, segundo pesquisa do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP), divulgada nesta quarta-feira (16).

Os resultados, no entanto, continuam negativos. No ano, o acumulado é de -1,04%, representando uma queda de aproximadamente 650 postos de trabalho. Nos últimos 12 meses, o acumulado é de -10,79%, o que corresponde ao fechamento de cerca de 7.500 postos de trabalho.

No mês de fevereiro, o nível de emprego industrial na Diretoria Alto Tietê do CIESP foi influenciado pelas variações negativas dos setores de Máquinas, Aparelhos e Materiais Elétricos (-1,52%) e Celulose, Papel e Produtos de Papel (-0,43%), que foram os setores que mais influenciaram o cálculo do índice total da Região.

O resultado só não foi pior devido às variações positivas dos setores de Produtos Têxteis (5,53%) e Produtos de Minerais Não-Metálicos (2,09%), que também influenciaram o resultado do indicador.

No ranking de fevereiro, o Alto Tietê ocupa a 10ª posição entre as 35 regiões industriais paulistas e seu desempenho, após vários meses, foi melhor do que o registrado na Grande São Paulo (-1,30%) e no Estado (-0,53%), que perdeu 27 mil postos de trabalho neste início de ano.

“Ainda que seja um índice bem melhor do que o que vinha sendo registrado na Região, não chega a ser um refresco os resultados de fevereiro, pois o acumulado nos últimos meses é muito ruim. O pior desempenho da indústria do Alto Tietê”, avalia José Francisco Caseiro, diretor do Ciesp Alto Tietê. “Continuamos sem perspectivas de mudança a curto prazo e, por isso mesmo, será preciso aguardar os próximos meses para avaliar se o ocorrido em fevereiro foi uma situação pontual ou chegamos mesmo a um ponto de estabilidade nas demissões”, acrescenta.

A tabela abaixo mostra o comportamento setorial dos meses de fevereiro de 2015 e 2016 e os acumulados no ano e em 12 meses:

Ciesp - Pesquisa emprego

Quando comparados os meses de fevereiro dos anos de 2015 e 2016, o cenário é melhor, pois em fevereiro de 2015 o resultado foi negativo em -0,68%. O gráfico abaixo mostra os resultados comparativos da Diretoria Regional dos meses de fevereiro nos anos de 2006 a 2016.Ciesp - Pesquisa emprego 2

O gráfico abaixo mostra o desempenho das variações mensais da Diretoria Regional no período de fevereiro/2014 a fevereiro/2016.Ciesp - Pesquisa emprego 3

*Fonte: Ciesp
Open chat
Posso ajudar?
Powered by