Demissões marcam o início de 2017 na indústria do Alto Tietê

Indústria Alto Tietê

O ano começou com indicadores negativos para a indústria do Alto Tietê. O nível de emprego industrial na Região registrado em janeiro/2017 foi de -0,42%, o que significou uma queda de aproximadamente 250 postos de trabalho nas empresas instaladas em Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis e Suzano.

O resultado divulgado no último dia 16 pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), entidade parceira da Frente Empresarial Pró-Itaquaquecetuba (Fempi), deixou o Alto Tietê entre as 13 regiões paulistas que registraram saldo negativo no nível de emprego em janeiro, enquanto outras 18 tiveram variação positiva e quatro ficaram estáveis. Com isso, a Região ficou aquém também da média estadual, que foi de 0,31%.

De acordo com José Francisco Caseiro, diretor do Ciesp Alto Tietê, os números gerais apontam para o início de uma recuperação da indústria, porém essa tendência ainda não alcançou todas as regiões do Estado e não chegou ao Alto Tietê. Depois de 6 mil demissões em 2016, era esperado uma estagnação nesse processo já no início do ano. Isso, segundo ele, não aconteceu, mas existe a expectativa de que nos próximos meses a indústria do Alto Tietê se estabilize para, depois, pensar em retomada.

Vale ressaltar que a Região concentra grande número de empresas metalúrgicas e químicas, setores da indústria de transformação bastante comprometidos pela crise.

Em janeiro/2017, o nível de emprego industrial no Alto Tietê foi influenciado pelas variações negativas dos setores de Máquinas e Equipamentos (-1,88%); Produtos Químicos (-0,86%); Produtos Alimentícios (-0,14%) e Máquinas, Aparelhos e Materiais Elétricos (-0,33%).

A tabela abaixo mostra o comportamento setorial dos meses de janeiro de 2016 e 2017 e o acumulado em 12 meses:

quadro 1 - indústria do Alto Tietê

Quando comparados os meses de janeiro dos anos de 2016 e 2017, o cenário é melhor, pois em janeiro de 2016 o resultado foi negativo em 1,04%. O gráfico abaixo mostra os resultados comparativos da Diretoria Regional dos meses de janeiro nos anos de 2006 a 2017.

quadro 2 - indústria no Alto Tietê

O gráfico abaixo mostra o desempenho das variações mensais da Diretoria Regional no período de janeiro/2015 a janeiro/2017.

quadro 3 - indústria do Alto Tietê