Produção cresce e emprego na indústria fica estável

A produção cresceu e o emprego na indústria brasileira parou de cair. O indicador de evolução da produção alcançou 52,6 pontos em outubro. Como ficou acima de 50 pontos, o índice mostra crescimento da produção industrial na passagem de setembro para outubro, diferentemente do que tinha ocorrido nos últimos dois anos.

O indicador de emprego no setor subiu para 49,7 pontos, o maior valor desde novembro de 2013, mostrando que a indústria manteve o número de trabalhadores em outubro. As informações são da Sondagem Industrial, divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta segunda-feira (27). Os indicadores da pesquisa variam de zero a cem pontos. Quando ficam acima de 50 pontos mostram aumento da produção e do emprego.

“A recuperação da indústria segue em curso”, diz a pesquisa. Os estoques voltaram ao patamar planejado pelos empresários e o nível de utilização da capacidade instalada aumentou 1 ponto percentual em relação a setembro e ficou em 67% em outubro.

INVESTIMENTOS EM ALTA 

Mesmo com a elevada ociosidade, a disposição dos empresários para investir continua crescendo. O indicador de intenção de investimentos subiu para 50,6 pontos em outubro. Foi o quinto mês consecutivo sem queda no índice que alcançou, em outubro, o maior valor desde fevereiro de 2015. O indicador varia de zero a cem pontos. Quanto maior o índice maior é a intenção de investimento dos empresários.

O economista da CNI Marcelo Azevedo explica que o aumento na disposição para investir é  resultado da melhora das condições da indústria em geral e das boas expectativas dos empresários para os próximos seis meses. “O aumento dos investimentos é positivo e importante para a recuperação sustentada da economia nos próximos meses”, afirma Azevedo.

Os empresários também mostram otimismo em relação aos próximos seis meses. Apesar da pequena queda registrada em novembro, os índices de expectativa de demanda, compras de matérias-primas e de quantidade exportada continuam acima dos 50 pontos. Isso indica que os industriais esperam o crescimento do consumo, das compras de matérias-primas e das exportações nos próximos seis meses.

O índice de expectativa de número de empregados ficou em 49,2 pontos em novembro, muito próximo da linha divisória dos 50 pontos, indicando estabilidade no emprego, informa a CNI.

Esta edição da Sondagem Industrial foi feita entre 1º e 14 de novembro, com 2.379 empresas. Dessas, 965 são pequenas, 865 são médias e 558 são de grande porte.

SAIBA MAIS – Entre na página da Sondagem Industrial para conhecer todos os detalhes da pesquisa.

Por Verene Wolke
Da Agência CNI de Notícias